• Increase font size
  • Decrease font size
  • Default font size
19'000Km - A África de Norte a Sul por terra!
Quem

Nome: Rui Filipe Severino Casimiro
Idade: 60 anos
Naturalidade: Moçambique 

O meu Pai, nascido em Lisboa, viajou para Moçambique aos 4 anos de idade (1926). A minha Mãe nasceu em Inhambane (Sul do Save, Moçambique) em 1925.

Habilitações académicas: Curso de Biologia incompleto. 

Serviço militar: 2 anos em zona de guerra no Norte de Moçambique (Cabo Delgado, Planalto dos Macondes), como Comandante de Sub-unidade tomando parte em colunas militares - operações de logística e controle territorial.

Chegada a Portugal: 1979 Situação profissional: Reformado bancário do Banco Espírito Santo (Dept. Informática). 

Herdei do meu pai o gosto pelas grandes viagens e a sua grande capacidade organizativa.  Herdei da minha mãe os valores da fraternidade e igualdade entre os povos.

 

Efectuei com os meus pais duas viagens a Portugal em 1953 e 1958, em navios de passageiros ingleses, com travessia do Canal do Suez. 

Foram, também, inúmeras as viagens de carro que com eles realizei em Moçambique e pelo sul de África durante os trinta anos que lá vivi.

 

Grandes viagens por estradas muitas das vezes de difícil progressão, dada a irregularidade do piso especialmente na época das chuvas que as transformava em autênticos lamaçais.

No norte de Moçambique, a progressão das colunas militares também foi escola, pois envolviam dezenas de veículos civis, nem sempre preparados para as difíceis picadas.

Talvez por, desde miúdo estar habituado a contrariedades na progressão de viagens de centenas de quilómetros, nunca encontrei razão para "brincar" com esta situação como se procura aqui em Portugal em passeios chamados de "todo-o-terreno". Mas é uma opinião pessoal. Nada mais do que isso.

Anseio por voltar à minha Escola Primária Vasco da Gama, agora Escola Primária Completa de Quelimane. 

E, na componente humanitária e diferenciadora que este Projecto pretende assumir, proporcionar meios para que as crianças que agora lá estudam, alcancem mais conhecimento.

Aos lugares aonde estive em tempo de guerra quero regressar, pois quero "libertar" essa zona de algumas situações que lá vivi, ditadas por outros.

Quero voltar a fazer as "picadas" do Planalto dos Macondes, mas em Paz.

Levar material escolar para essa escola da cidade de Quelimane, capital da Província da Zambézia, na zona centro de Moçambique, foi a forma que encontrei de voltar à minha terra com um propósito diferente do habitual, a viagem turística.

Voltar lá de avião, não se coaduna muito com a minha maneira de ser, de sentir, de resolver a saída em 1979.  E, assim, sonhando, volto, como que duma daquelas minhas grandes viagens de outrora se tratasse.

 

Apoio



Alojamento e design "by" 
www.ttverde.com